Reiki

Reiki

terça-feira, 9 de julho de 2013

Benefício do Reiki para Grávidas




Benefícios do Reiki para Grávidas:
- Harmonizar a mãe e o bebé
- Equilibrar as mudanças emocionais bruscas
- Aliviar inchaços e dores e,principalmente, traz uma grande sensação de paz interior e ligação com a criança. 
- Problemas cardíacos
- Depressão 
- Ansiedade
- Problemas de digestão no início da gravidez: para ajudar a aliviar o stress e o desconforto que uma grávida pode sentir nesta fase e, simultaneamente, aumentar o fluxo de energia que se transmite entre estes dois seres. É um momento único de comunhão de energia entre mãe e filho. 
Durante a gravidez: 
O Reiki diminui ansiedades, náuseas e insónias na futura mãe enquanto acalma, relaxa e promove o desenvolvimento em harmonia do bebé.
No parto: ter recebido Reiki, ajuda a controlar a dor sentida, facilitando o trabalho de parto por uma maior capacidade de relaxamento e controle e emocional. 
No pós-parto: o Reiki auxilia a mãe a sentir-se mais serena e a gerir melhor a montanha de emoções que habitualmente surgem nesta fase, como a depressão pós-parto. É comum a referência à espantos a saúde com que nascem alguns bebés em que as mães fizeram Reiki durante a gravidez, e ainda a ausência ou redução substancial de cólicas, além de uma gestação tranquila e equilibrada. A energia vital tem um papel importante em tudo o que fazemos. Anima o corpo e também é a força principal de nossas emoções e pensamentos. Na gestação, é uma forma prazerosa e saudável para descobrir o silêncio da paz interior, da consciência do vínculo psíquico e emocional que existe entre mãe e bebé desde o início da gravidez. Também é indicado para o relaxamento corporal, reduzindo ansiedade e stress. O bebé também pode usufruir dos benefícios do Reiki. 
É indicado para auxiliar na adaptação a nova vida. Alguns problemas durante a gestação que o reiki ajuda a prevenir, minimizar e curar : O diabetes gestacional é diagnosticado por volta da 26ª semana. O exame de glicemia, no entanto, deve ser feito desde o início da gravidez, sendo repetido a cada três meses, tanto para acompanhar as variações da taxa de açúcar no sangue, quanto para controlar a doença. O controle pode ser feito por medicamentos ou com simples mudanças nos hábitos alimentares. 26ª semana. E por quê? Em torno do sexto mês de gravidez, o feto passa a consumir mais glicose para ganhar peso, daí a maior probabilidade de surgirem problemas relacionados às taxas de açúcar nesse período. Na ocasião, ocorre um aumento de hormónios placentários, que estimulam a produção de insulina circulante no sangue materno com a finalidade de manter a glicose dentro da célula fetal. Algumas pacientes não são capazes de produzir insulina suficiente para permitir que a glicose vá para o bebé, fazendo com que o açúcar extra permaneça em seu próprio sangue, levando à hiperglicemia. Quando a gestação acaba, a necessidade de produzir mais insulina também acaba, dando fim ao diabetes.
Os sangramentos são outro fantasma que assustam as futuras mães. "Eles podem ser indícios de abortos, daí a preocupação", afirma a obstetra. Pressão alta é outra disfunção que pode ser detectada durante os três primeiros meses. A especialista afirma que a incidência de hipertensão é maior na primeira gravidez ou no primeiro filho de gestações de pais diferentes, devido ao caráter imunológico do organismo da mulher. Essa reação imunológica acontece porque a mãe reconhece o filho como algo estranho ao seu organismo, já que, geneticamente, 50% do feto é composto pelo pai. Mulheres acima dos 35 anos também são mais suscetíveis à pressão alta. Chamada de hipertensão crónica, este tipo de quadro desenvolve-se em mulheres que já apresentavam oscilações na pressão arterial antes de engravidar. Fatores como sedentarismo e peso em excesso aumentam a probabilidade da doença se manifestar. Uma ecografia, no entanto, é suficiente para mostrar a situação das artérias. "Notar sintomas simples, como aumento demasiado de peso e inchaço, também ajuda no diagnóstico". Medir a pressão mensalmente é importante para manter o controle, caso a hipertensão já esteja instalada. A faixa etária mais avançada também torna as mulheres mais vulneráveis aos problemas relacionados à tiróide - glândula que produz os hormónios responsáveis por acelerar ou retardar o metabolismo. O hipo ou hipertireodismo são detectados por meio de exames de sangue.Peça ao seu médico. Já nos últimos três meses, os sangramentos novamente merecem atenção especial. Eles podem significar deslocamento da placenta, levando ao nascimento prematuro, ou sinais de placenta prévia, casos em que a placenta cobre parcial ou totalmente o colo uterino. Neste último caso, a indicação é que a mulher fique de repouso até o final da gravidez, a fim de evitar uma precoce contração uterina. Para mais informações, entre em contato com o seu médico e procure um terapeuta reikiano para associar o tratamento junto com o pré-natal. 
http://reikienergiadouniverso.jimdo.com/o-que-se-pode-tratar-com-o-reiki/

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Benefícios do Reiki

Veja mais recados

Reiki, energia maravilhosa, chegando a ser mágica, como só o Amor é capaz, por isso  tem tantos benefícios:

Benefícios do Reiki
  • Reduz o stress
  • Alivia a dor 
  • Melhora o sono
  • Clareia a mente e as emoções
  • Desperta potencialidades, resgata a coragem, a alegria e a autoconfiança
  • Promove o equilíbrio físico, emocional e espiritual
  • Regenera as células e tecidos lesados
  • Ajuda na resolução de problemas e conflitos
  • Melhora a auto-estima